12 mar 2018

PROCEDIMENTOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO (NÃO INVASIVOS) ACABAM COM IMPERFEIÇÕES

 

PROCEDIMENTOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO (NÃO INVASIVOS) ACABAM COM IMPERFEIÇÕES E RESSALTAM A BELEZA NATURAL

NADA DE MANCHAS


O que há de mais moderno são os lasers de nano ou picos¬segundos, que agem explodindo o pigmento em fragmentos tão minúsculos que as nossas células de limpeza são capazes de re¬movê-los. “Após a aplicação dos lasers se formam microcolunas de coagulação e podemos usar medicamentos despigmentantes, como drug delivery, para aumentar a eficácia desses produtos”, diz a doutora Valéria Marcondes.
Um exemplo é a tecnologia ACROMA-QS, que permite que o dermatologista realize o tratamento com disparos con¬trolados, o que reduz os riscos e elimina a dor. “O efeito final é a redução gradativa da produção de novos pigmentos. Apesar de não podermos falar em cura do melasma, o que tenho visto é que, mesmo no caso das pacientes que voltam a tomar sol, o retorno à mancha demora mais para acontecer”, explica a der¬matologista Valéria Campos. O tratamento leva cerca de 6 a 12 sessões indolores, que duram 10 minutos cada.
Já a esteticista Sueli Szterling, diretora do Espaço Kurma, de São Paulo, trabalha com um novo protocolo, o AntioxC, um peeling com pérolas orientais e vitamina C, que rejuve¬nesce e ameniza manchas. “Ele clareia, ilumina e deixa a pele mais radiante”, diz.

materia completa em goo.gl/x6Ry2Z