07 jan 2018

RADIOFREQUÊNCIA COMBATE A FLACIDEZ

Com a chegada dos dias quentes aumenta a preocupação em estar com o corpo em forma. São muitos os tratamentos no mercado que prometem milagres, mas são necessários cuidados na hora de escolher o tratamento e o profissional. No verão a atenção é redobrada, pois não são todos os tipos de tratamentos que são indicados para esta época. Alguns, como os a base de laser mais potente, podem prejudicar a pele.


Uma ótima alternativa para esta época do ano são os tratamentos com radiofrequência. Através da geração de calor de energia eletromagnética no tecido embaixo da pele, a radiofrequência induz a produção de novas fibras de colágeno e melhora o aspecto da pele. “Este calor quando entra na pele provoca alterações benéficas como para tratamento de flacidez, porque provoca lesão na fibra de colágeno e faz com que o organismo produza mais colágeno”, explica a dermatologista Valéria Campos, pós graduada pela Havard Medical School em Dermatologia e Laser.

Ele esclarece que a partir dos 25 anos de idade as pessoas começam a perder colágeno em 5% ao ano, mas hoje existem maneiras para retardar esta perda. “A radiofrequência é como se fosse uma musculação para a pele”, explica. A indicação para retardar a perda de colágeno, segundo a médica, é fazer o tratamento de radiofrequência pelo menos uma vez ao ano. Ele é ideal para flacidez, gordura localizada e celulite nas pernas, abdome, braço e glúteo e também pode ser usada na face.

No rosto, a radiofrequência pode ser utilizada para abrir os poros (termoporação) e aumentar a absorção dos produtos de beleza. É possível até mesmo tratar calvície, desde que seja com a ponteira certa do equipamento e realizado por um profissional qualificado e com conhecimento técnico, pois do contrário, avisa a médica, pode causar problemas, como queda de cabelo.

A radiofrequência foi usada pela primeira vez no século XIX pelo físico francês Jacques-Arsène D’Ansorval e vem sendo utilizada até hoje nas práticas da dermatologia estética devido aos seus bons resultados. O diferencial é a qualidade dos equipamentos utilizados. Vale ressaltar que existem muitos tipos de aparelhos de radiofrequência no mercado e o resultado do tratamento depende da potência e qualidade do equipamento. Valéria explica que a associação desta técnica com outros tipos de tratamentos como o ultrassom cavitacional e a criolipólise potencializam os resultados. “O paciente sempre deve ter cuidado na escolha de onde fazer estes tipos de tratamentos, que devem ser feitos em ambiente médico, com supervisão médica”, explica. Por isso, é necessário se preocupar com preços muito baratos e locais que não possuem médico.

Dependendo da qualidade do equipamento, a dermatologista ressalta que uma boa drenagem linfática manual pode gerar melhores resultados do que o uso de equipamentos ruins. Vale lembrar que os cremes sozinhos também não surtem resultados para a flacidez.

A esteticista Flávia do Nascimento ressalta os bons resultados obtidos com um novo aparelho de radiofrequência que acaba de chegar ao mercado: o Trynea. O novo equipamento trabalha três tipos de tecnologia diferentes no combate à celulite, flacidez e gordura localizada, com opções de procedimento em corpo e face. “Ele é um sistema de radiofrequência multipolar variável e reconhecimento de impedância automático, que, combinado à endermoterapia, cavitação e fotobioestimulação simultânea, proporciona ótimos resultados em tratamentos para corpo, membros e face com resultados seguros e eficazes no combate à celulite, gordura localizada”, garante. Mais informações no e-mail laserjundiai@hotmail.com